domingo, 23 de setembro de 2012

PATRIMÔNIO CULTURAL



PATRIMÔNIO CULTURAL NA ESCOLA.
O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) denomina como patrimônio cultural todas as expressões criadas pela sociedade que, com o tempo, são agregadas às das gerações anteriores.
Esse conceito, hoje, se estende a imóveis particulares, trechos urbanos e até ambientes naturais de importância paisagística, além de imagens, utensílios e outros bens móveis.
 O trabalho com as heranças culturais de sua região permite que o aluno aprenda a resguardar a memória da comunidade e se sinta parte dela (sensação de pertencimento a uma cultura).

O QUE É PATRIMÔNIO HISTÓRICO CULTURAL?
Patrimônio etimologicamente significa "herança paterna", isto é, a riqueza que herdamos como cidadãos e que é transmitida de geração a geração.
 A  Constituição da República Federativa do Brasil estabelece que o poder público, com a cooperação da comunidade, deve promover e proteger o "patrimônio cultural brasileiro".
 Esse patrimônio é constituído pelos bens materiais e imateriais que se referem à identidade da sociedade brasileira.
    São eles:
  Formas de expressão;
  Modos de criar, fazer, viver;
  Criações científicas, artísticas e tecnológica;
  Obras,  objetos, documentos, edificações e demais espaços destinados às manifestações artístico-culturais;
  Conjuntos urbanos e sítios de valor histórico, paisagístico, artístico, arqueológico, paleontológico, ecológico e científico. Os bens materiais incluem bens móveis (obras de arte ou artesanto); os bens imaterais compreendem a literatura e a música, a linguagem e os costumes; os locais de valor histórico, a arqueologia, as paisagens e as áreas de proteção ecológica da fauna e da flora.
A preservação do patrimônio cultural leva à conservação da memória de um povo, à identidade da nação.

Patrimônio artístico
- O que é
Todos os bens artísticos ou mobiliários (esculturas, telas, móveis, em peças únicas ou acervos) que tenham relevância cultural para a comunidade. Identificam uma região ou um povo por ser uma referência estética, plástica ou estilística, sem necessariamente ter passado pelo processo de tombamento.

- Por que trabalhar
O valor cultural de cada obra abre um debate sobre o significado da arte e como ela está inserida na comunidade. As peças marcam a identidade da paisagem urbana. Estimular a apreciação e a crítica artística acentua o diálogo entre as produções regionais e a diversidade da arte universal. 


Patrimônio arquitetônico
- O que é
Edificações que, preservadas ou em ruínas, guardam a memória histórica e representam as inovações ocorridas naquele local ao longo do tempo. Podem ser monumentos religiosos, palácios, casas, indústrias e prédios oficiais que indiquem um estilo e uma técnica de construção marcante para a comunidade.

- Por que trabalhar
É essencial que os alunos compreendam a necessidade de preservar um bem arquitetônico, pois ele revela informações sobre a formação da região. Entre outros aspectos, as construções apontam as relações com o meio ambiente, as necessidades de certa época e as inspirações artísticas

Patrimônio imaterial
- O que é
O conjunto de práticas e saberes transmitidos de geração em geração que diferenciam determinado povo ou região. Danças, músicas, expressões, lendas, festas, celebrações, conhecimentos e técnicas, assim como instrumentos, artefatos e lugares, carregam em si uma memória coletiva.

- Por que trabalhar
Os bens imateriais estão relacionados à formação da identidade da comunidade. É importante ressaltar o significado cultural para se sentir integrante do contexto em que vive e reflitir sobre a diversidade das manifestações. 

Patrimônio natural
    - O que é
Todo local cuja natureza tenha relevância para uma população. É o lugar que apresenta relações significativas com a sociedade, por causa das lendas e da história ou da economia a ele associada. A raridade, a importância de um bioma ou a beleza de seu conjunto também recebe a classificação de patrimônio natural.

- Por que trabalhar
Para que o aluno compreenda o espaço onde vive com conhecimentos históricos e geográficos, sendo apresentado às manifestações folclóricas e às atividades econômicas ou turísticas do local. O estudo sobre a flora e a fauna típicas da região incentiva a preservação, pois assim ele se considera parte dele. 

ERROS MAIS COMUNS
- Limitar-se a efemérides. Abordar manifestações típicas só em datas comemorativas esvazia o significado da memória de um povo. Deve-se entender as produções como parte integrante de uma comunidade.

- Ignorar as pessoas da comunidade. A participação de artistas e outros agentes culturais aproxima a turma dos fazeres típicos da região.

- Tratar o Patrimônio Cultural como passado. Entender o que é histórico como algo que já acabou distancia a criança daquilo que também forma sua identidade. Trabalhar com tradições é refletir sobre a atualidade.

REFERENCIA:
  BLOG PATRIMÔNIO CULTURAL NA ESCOLA EM MINAS GERAIS.
    NOVA ESCOLA Edição 234AGOSTO 2010. Título original: É hora de valorizar o que é nosso
  Maria de Jesus P. A. Minga - Revista Guia Prático para Professoras de Educação Infantil

Nenhum comentário:

Postar um comentário